Revolução francesa - duvida difícil

No bojo da sociedade, principalmente as que se
dizem democráticas, as organizações públicas e os
diversos setores sociais, visando ao bem comum,
devem organizar-se para apromoção da igualdade,
[5] liberdade e fraternidade. Somos iguais em direitos e
humanitariamente, mas temos diferenças, na medida
em que essas passam socialmente a tornarem-se
vantagens de uns sobre os outros, constitui sistema
desigual que fere a igualdade de direito para todos.
[10] A Declaração Universal dos Direitos Humanos em
seu Art. 1º aborda que “Todos os homens nascem
livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de
razão e consciência e devem agir em relação uns aos
outros com espírito de fraternidade”. Dessa forma, traz
[15] a trilogia da Revolução Francesa para a esfera universal.
Entretanto, desde a mais tenra infância, as pessoas
aprendem que todos têm oportunidades iguais e que
as desigualdades com que se deparam não são o
resultado de instituições injustas, mas de seus dotes
[20] naturais superiores ou inferiores.
Quando a igualdade é colocada no plano de que
todos têm as mesmas oportunidades, e que as
desigualdades com que são vivenciadas são fruto de
suas próprias incapacidades, deixa-se de efetuar a
[25] fraternidade, visto que o significado natural de
fraternidade é a ideia de não querer ter maiores
vantagens, exceto, quando isso traz benefícios para
os outros que estão em pior situação. Se a condição
vivenciada pelo outro é posta na culpabilização do sujeito
[30] e em seus esforços individuais, relega-o a sua própria
sorte, negligenciam-se os fatores históricos, sociais
como também a igualdade e liberdade.
Na ordem do mercado que preza pela competição
e individualismo, é promovido o pensamento da igualdade
[35] em que todos têm as mesmas possibilidades de alcance
de determinados objetivos, sem considerar que as
desigualdades sociais e as condições de vidas não os
permitem caminhar em pé de igualdade. Por isso, alguns
pensadores questionam se a melhor maneira de provar
[40] em que medida a realidade de uma sociedade
“democrática” está de acordo com seus ideais não
consiste em medir as chances de acesso aos
instrumentos institucionalizados de ascensão social,
concedido a diferentes classes sociais. Nesse ponto,

[45] ocorre a percepção da diferenciação entre a aparente
igualdade disseminada e a real desigualdade que exclui
por não ser propiciadas aos sujeitos condições iguais.
Assim, envolto na concepção de oferecimento a todos
das mesmas chances, a desigualdade passa a
[50] ser coberta pela capa metafórica de igualdade.

FRATERNIDADE E EQUIDADE: UM DIÁLOGO COM O PRINCÍPIO DA DIFERENÇA. Disponível em: http://www.equidade.faced.ufba.br/sites/equidade.oe.faced.ufba.br/files/fraternidade_-_soraia_dora_e_robinson.pdf. Acesso em: 20 nov. 2018. Adaptado.

A passagem do texto que contradiz o que se afirma com a expressão “capa metafórica de igualdade” ( l . 50) é

Captura de Tela 2022-03-26 às 10.14.52

eu nao entendi do porque a letra E ser a correta, sendo que na pergunta ele quer a contradição