Gêneros textuais

Leia a letra da canção da banda Ira! Receita para se fazer um herói (Edgard Scandurra):

Toma-se um homem

Feito de nada como nós

Em tamanho natural

Embebe-se-lhe a carne

De um jeito irracional

Como a fome, como o ódio

Depois, perto do fim Levanta-se o pendão

E toca-se o clarim

Serve-se morto

Observe as afirmações que seguem sobre a letra.

I - Os versos de Edgard Scandurra se apropriam do gênero receita, tomando como referência as flexões verbais características desse tipo de texto e a estrutura recorrente que o divide em “Ingredientes” e “Modo de preparo”.

II - O texto lida tão somente com uma perspectiva romântica de heroísmo, baseada na valorização extrema da ética, da justiça, da pureza e da perfeição física, logo, uma idealização, algo impossível.

III - O sacrifício heroico que aparece na letra é tomado como referência da jornada tradicional do herói; neste caso, temos uma característica que transcende épocas – desde os gregos até os contemporâneos.

Quais estão corretas?"

Apenas I.
Apenas I e III.
Apenas II.
Apenas I e II.
I, II e III.
Nessa questão, porque o verso de Edgard Scandurra se apropria do gênero receita ? O gênero receita não deveria apresentar verbo no infinitivo indicando uma ação ?

Olá, Beatriz!

Lendo novamente os primeiros versos, temos: “Toma-se um homem […] em tamanho natural, embebe-se-lhe a carne” e “Serve-se morto” tem caráter instrutivo, mostrando como servir esse “prato”, mesmo que fique subentendido pelo “-se”.
No gênero receita, temos verbos no modo imperativo, indicando ordem, desejo, pedido, etc. Podemos ver o “Toma-se um homem” como “Tome um homem” e “Serve-se morto” como “Sirva morto”, como instruções.
Espero ter ajudado!