Força de trabalho como Mercadoria? Como assim?

Não compreendi a resolução. Como a força de trabalho se tornaria uma mercadoria?
Quando me falam mercadoria, seria algo no contexto de ser vendido e derivados. Como podemos transformar a força de trabalho como mercadoria neste contexto?

Fala aí, blz?

Perceba que a questão se situa na formação de uma sociedade comercial, na qual já havia uma burguesia. No texto ele fala sobre três elementos importantes: trabalho, terra e dinheiro. Mas o que seria a consolidação da força de trabalho como mercadoria? Bem, esse é um fenômeno que tem seu início no surgimento da burguesia, condição na qual um indivíduo produzia um bem e o vendia, por exemplo, ao vender um pão eu não somo somente o custo de produção, mas também considero o meu esforço como produtor em fazer aquele trabalho. Hoje em dia tudo envolve o trabalho como mercadoria, por exemplo, ao entrar em uma empresa você recebe um salário. A que esse salário se refere? Ora, ele é o pagamento pela seu empenho na empresa, pelo seu trabalho. Ao contratar um pedreiro, por exemplo, você paga pela força de trabalho dele pra construir uma coisa x. A mão de obra é o principal produto da sociedade atual e se consolidou principalmente com as revoluções industrias.

A alternativa D está incorreta, pois pelo contrário, com a venda de mão de obra oriunda da industrialização, o comércio aumenta ainda mais, pois agora a população vai ter poder de compra, e é isso que movimenta o mercado.

Portanto, mercadoria não é um conceito limitado à objetos. Segundo o filósofo Zygmunt Bauman, ao simplesmente mexermos nas redes sociais nós nos tornamos mercadorias, pois diversas empresas pagam por anúncios que serão observados e consumidos por nós, logo, nossa atenção é vendida. E isso se ramifica em diversas situações do cotidiano. Lembre-se que em uma sociedade capitalista tudo tem seu valor.

Espero ter ajudado. :slight_smile:
Tmj